JIU JITSU E SURF: PURA VIDA! – POR MAURO FROTA

IMG_9335

Uma iniciativa inédita que junta dois desportos com ‘alma’. Foto: JiuJitsuPortugal

 

 

São tantas as frases que me ficam na memória, ao ler os posts nas redes sociais ou as colunas do Prof. Luiz Dias na conceituada Tatame (ou mesmo aqui, no JiuJitsuPortugal), que se torna difícil fazer uma seleção justa. Mas penso que as que melhor se adequam ao seminário que o líder e fundador da “GAS JJ” ministrou no passado sábado em Almada serão: ”AMIZADE NOS TATAMES”, ADRENALINA NA VEIA” e “JIU JITSU OLD SCHOOL; OLD IS COOL”.

 

Foi a união destes dois conceitos (mais o SURF, presença constante na vida do Prof. Luiz Dias, Carioca do famoso bairro da Urca, Zona Sul do Rio de Janeiro) que serviram de fio condutor para um brilhante seminário, onde a técnica old school se uniu a um ambiente de treino descontraído e onde a amizade, entrega e dedicação de todos os participantes foi uma constante.

 

Mas vamos por partes: quem conhece Luiz Dias (seria, para mim, o segundo seminário em que participava com o Professor) sabe que uma das suas missões é o resgate do Jiu Jitsu old school, que pode ser utilizado quase sem modificações numa classe de Jiu Jitsu, numa luta de MMA ou numa situação de defesa pessoal. E este seminário não foi diferente. Um Jiu Jitsu “justo”, com muita pressão e cheio de pormenores foi apresentado numa sequencia que não deixou ninguém respirar. “Uma lapela pode ser substituída por um casaco, numa situação de defesa pessoal”, diria às tantas.

 

O ritmo com que foram apresentadas as técnicas foi alucinante, completamente diferente de outros seminários em que durante duas horas se repetem 2 ou 3 técnicas apenas. Aqui, fizemos 3 finalizações da guarda fechada usando a lapela, raspagem da guarda fechada usando a lapela, finalização da guarda alta, finalizações da kesa gatame (controlo lateral), 3 finalizações partindo da omoplata, inversão partindo da omoplata, saída da montada e defesa contra golpes de punho, ataque e defesa de mata-leão, etc. As técnicas foram tantas e com tantos pormenores fundamentais, que ainda passei um bom bocado a filmar tudo no final do seminário, para não esquecer nada.

 

Para coroar um festival de técnicas brilhantes, tivemos um ambiente de real amizade e partilha, que muito se deveu ao Prof. Luiz Dias e à sua forma tranquila de colocar todos à vontade; e ao Prof. Pedro Romana e seus quase 30 alunos, que nos receberam muito bem e nos fizeram sentir em casa.

 

Resta-nos agradecer a Nuno Mesquita da marca de handplanes “AHUA”, um dos organizadores do evento, ao Prof. Pedro Romana e seus alunos e aguardar pela próxima visita do Prof. Luiz Dias a terras Lusas. Até breve Professor…

 

Por Mauro Frota