PROFESSOR GUILHERME ASSAD – O MESTRE DA MEIA GUARDA, POR MAURO FROTA

16441575_10212531036659026_782625607_n

 

Professor Guilherme Assad – o mestre da meia-guarda

 

Depois de Eduardo “Brigadeiro” Venâncio, mais um seminário me aguardava em Lisboa, a convite do Professor Heitor Moura da Fight Club Jiu Jitsu. Assim, prontamente rumei ao enorme – e recentemente renovado – tatame do Estádio Universitário de Lisboa, casa da seleção portuguesa de Judo.

 

Desta vez o convidado de honra seria Guilherme Assad, também ele faixa preta do Mestre Ricardo De La Riva e Professor da lenda do UFC Rodrigo “Minotauro” Nogueira.

 

Tendo treinado no dia anterior com o Professor “Brigadeiro”, estava curioso para tentar perceber se o “jogo” de mais este famoso professor da velha guarda seria semelhante ao que experimentei com “Brigadeiro” – mais justo, na pressão – ou mais solto e moderno.

 

O seminário foi composto por 2 dias, cada um com 4 horas de treino, um formato que foi novidade para mim, habituado a seminários de 2 ou 3 horas apenas.

 

As dúvidas rapidamente desapareceram: o Professor Assad mostrou-nos um Jiu Jitsu bem justo e com uso extensivo das lapelas. De tudo o que foi mostrado – raspagens da guarda-aranha, finalizações da guarda-fechada, ataques da meia-guarda – o que permaneceu de forma mais forte comigo foi o excelente jogo de ataques e posicionamento de dentro da meia-guarda, usando a lapela para controlar um dos braços do adversário e aplicar uma série de ataques, desde variações do estrangulamento taco de basebol, passando por pegar as costas de dentro da meia-guarda, até à aplicação de mão-de-vaca e americana.

 

No final fica a constatação de que os dois faixas pretas com que treinei, formados por um dos maiores guardeiros da velha guarda, Mestre Ricardo De La Riva, se identificam mais com o trabalho de passagem de guarda.

 

Será caso para dizer que filho de peixe também sabe… andar?

 

Por Mauro Frota