COMO FOI O SEMINÁRIO DE ‘BUCHECHA’ EM LISBOA – POR HUGO MIRANDA E MAURO FROTA

14517407_10211353402778915_6735771742459286267_n

Mauro Frota, ‘Buchecha’ e Hugo Miranda. 3 gerações, 3 faixas e 3 academias; diferenças que não impediram a presença num seminário único. Foto: JJP

 

 

No passado dia 9 de Outubro, Marcus “Buchecha” Almeida, um dos maiores nomes de sempre do Jiu-Jitsu regressou a Portugal para mais um seminário na academia Gracie Barra Lisboa – Benfica.

 

A convite do Professor Alex machado, o site JiuJitsuPortugal esteve presente com dois dos seus colunistas, Hugo Miranda e Mauro Frota. Fica com suas as impressões depois de uma tarde com este ‘monstro’ dos tatames.

 

Buchecha em Lisboa

 

O pentacampeão mundial Marcus “Buchecha” Almeida veio a Portugal pela segunda vez dar um seminário, que se realizou na Academia Gracie Barra Lisboa – Benfica.
Não há seguramente muitos desportos em que se possa passar uma tarde de domingo a ter uma aula com um campeão do nível de “Buchecha”, mas o Jiu-Jitsu ainda mantém essa proximidade com os seus campeões e foram muitos os que marcaram presença no evento.

 

O seminário em si foi suficientemente simples para os praticantes das faixas mais claras poderem compreender as técnicas e suficientemente evoluído para os atletas mais experientes as poderem utilizar, por exemplo em competição, uma vez que as posições passadas são de eficiência comprovada, tendo sido extensivamente utilizadas por “Buchecha” ainda no último mundial.

 

Esse foi aliás um factor interessante, ver o atleta mostrar as técnicas que vimos no mundial. Foi como rever as lutas com a narração do próprio interveniente. No total, duas passagens de guarda e um armlock, todos com os valiosos detalhes que são a chave do sucesso.

 

Resta apenas agradecer aos anfitriões pela óptima recepção à equipa do JiuJitsuPortugal.

 

Por Hugo Miranda

 

 

Marcus “Buchecha” Almeida, o gigante gentil

 

Quando um faixa preta de renome mundial vem ensinar um armlock da montada, é claro que damos a devida atenção. Quando o mesmo faixa preta finalizou 5 dos 8 oponentes que teve pela frente para ganhar o mundial de 2016, com esse mesmo armlock da montada, nós damos muita, mas muita, atenção.

 

Foi, então, com elevadíssima expectativa que me desloquei, juntamente com o meu amigo e colunista da JiuJitsuPortugal, Hugo Miranda,  para mais um seminário com um campeão mundial de Jiu Jitsu, promovido pelo Professor Alex Machado da Gracie Barra Lisboa – Benfica.

 

Depois de um rápido aquecimento, passámos à ação, com o super-atleta Buchecha a exemplificar 2 passagens da guarda aberta que fizeram parte da sua estratégia para vencer  o campeonato mundial de 2016.

 

Uma coisa que encontrei em comum em todos os atletas de gabarito mundial com quem tenho aprendido nos últimos tempos, é que não apressam a realização da técnica, nem cortam etapas.  Ensinam exatamente todos os passos que depois aplicam na luta. Ao verificar posteriormente os vídeos dos campeonatos, fico sempre surpreendido com este facto.  Já tinha reparado nos seminários e lutas de Roger Gracie e Braulio Estima, e confirmei agora com o Buchecha. Todos os pormenores do treino são aplicados na luta, sem falta, com uma ordem e sequência lógicas, em que um passo leva ao outro, sucessivamente, até atingido o objectivo.

 

Outro aspecto que tenho reparado, pelo menos nestes atletas que lutam e ganham consistentemente na classe Absoluto, é que as técnicas, embora altamente eficientes, são simples o suficiente para fazer parte do jogo de atletas de todos os níveis.

 

Depois das duas passagens de guarda, chegou a vez da famosa montada e armlock da montada com que Buchecha finalizou 5 dos 8 oponentes que teve pela frente, rumo a mais um titulo de campeão mundial, já este ano. A técnica não desapontou.

 

Por Mauro Frota