ROLL&TALK JIU-JITSU 2016, POR MAURO FROTA

jiu-jitsu-portugal-com-50

O ‘Roll&Talk Jiu-Jitsu’ já se afirmou como um evento de partilha, diversão e aberto a todos os públicos, idades e estilos desportivos. Foto: JJP

 

Aconteceu, no passado dia 14 de Agosto, a terceira edição do Roll & Talk Jiu Jitsu, conceito desenvolvido por dois amigos separados pelo Oceano Atlântico – um no Brasil e o outro em Portugal – mas que têm o Jiu Jitsu como elo de ligação.

 

Depois do Rio de Janeiro, foi a vez de Faro receber este evento ímpar no panorama do Jiu Jitsu internacional, que tem o objectivo de promover a integração entre os atletas e equipas de várias academias (o Jiu Jitsu como caminho de união e amizade entre todos os lutadores); e de divulgar o Jiu Jitsu lifestyle (a celebração do Jiu Jitsu como estilo de vida).
A proposta deste ano uniu vários desportos e cultura num único evento, com seminários de Jiu Jitsu “regular”, Jiu Jitsu aplicado à defesa pessoal, Karate, Yoga, Water Training e Corrida Técnica.

 

O encontro começou com um seminário de Corrida Técnica, com várias dicas para corrigir desequilíbrios musculares potenciadores de lesão na corrida.
De seguida o professor Luiz Dias, colunista da Tatame e profundo conhecedor do Jiu Jitsu “antigo”, ministrou um seminário de Defesa Pessoal para mulheres e crianças, explicando e aplicando técnicas de Gi e No Gi em vários cenários, partindo de defesas de striking e os mais variados agarres, sobretudo em pé.

 

A parte da manhã terminou com o Yoga, para relaxar e preparar a parte da tarde.
Depois do almoço iniciou-se com um seminário teórico de Water Training, onde se aprendeu os princípios metodológicos desta nova modalidade, bem como informações extremamente úteis para sobreviver em ambiente aquático.
De seguida um dinâmico seminário de projeções de Karate, fazendo a ligação entre o striking e o trabalho de chão. Foram abordadas várias projeções a partir de defesa de pontapés, bem como na distância de clinch.

 

O evento terminou com mais um seminário do professor Luiz Dias, desta vez abordando exclusivamente o Jiu Jitsu no chão. Foram apresentadas essencialmente finalizações da guarda fechada, montada e 100 kilos, bem como algumas soluções de raspagens.

 

Mas o momento mais siginificativo de todo o dia foi, sem dúvida, ter privado com o professor Luiz Dias, que nos contou várias histórias do seu próprio mestre, hoje com mais de 80 anos e histórias de vários mestres da “velha guarda”. O professor Luiz é um dos últimos guardiões da ligação entre o Jiu Jitsu antigo, direcionado para a defesa pessoal, e o Jiu Jitsu moderno de competição. Uma das suas missões, e isso ficou bem claro, é não deixar morrer a memória daqueles que nos antecederam. Por isso, estaremos eternamente gratos!

 

Por Mauro Frota