EBI 8 – OS PESOS MÉDIOS, POR DIOGO TRIGO

13921199_316651882015963_4623098640412248971_n

 

EBI 8 – Os pesos médios.

 

Dia 11 de Setembro, o Eddie Bravo Invitational regressa ao Orpheum Theatre em Los Angeles para a sua oitava edição.  Originalmente previsto ser o torneio das adolescentes, foi travado por imposição da UFC (parceira do evento), que considerou que o mundo não está preparado para tal. Organizou-se então um torneio com 16 competidores pesos médios, que não sendo a edição com nomes mais sonantes, inclui ainda assim alguns competidores bastante interessantes, que misturados com sangue novo promissor, levam a alguns confrontos entusiasmantes que poderão ser assistidos na plataforma UFC Fight Pass.

 

Por ser o único competidor que já venceu o torneio, Gordon Ryan terá a honra de inaugurar a noite. Talvez o grappler de que mais se fala hoje em dia, venceu recentemente o EBI na categoria peso absoluto, submetendo para tal os laureados Yuri Simões e Rustam Chsiev. No mês passado lutou sem limite de tempo e submeteu o histórico Keenan Cornelius em 90 minutos, e já na smeana passada desafiou publicamente todo o Dream Team de Marcelo Garcia. Até agora ninguém pareceu ser capaz de derrotar o Danaher Death Squad (Ryan, Garry Tonon e Eddie Cummings) neste tipo de regras, tendo levado para casa todos os EBI em que participaram. Especialista em chaves de pernas, tem tambem um jogo muito sólido de controlo das costas que usa para finalizar e que poderá fazer a diferença no tempo extra. Ainda não foi derrotado desde que recebeu a faixa preta

 

No primeiro combate irá enfrentar Matt Arroyo. Este lutador de MMA e veterano da UFC tem duas vitórias de MMA profissional por submissao. Faixa preta de Jiu Jitsu e treina com Rob Kahn, faixa preta de Royce Gracie. Já marcou presença no ADCC, onde perdeu para Rustam Chsiev.

 

No segundo combate da noite teremos Aaron “Tex” Johnson. Este militar e lutador de MMA  já derrotou Gordon Ryan, bem como o campeão do ADCC Davi Ramos. Veterano da Bellator e wrestler de formação, é um competidor agressivo, como revela o seu registo de 13-10, tendo ido a decisão apenas 2 vezes, com 12 das 13 vitórias a surgirem por submissões variadas.  Já venceu nos PanAms e a divisão sem kimono do FIVE Grappling, estando agora concentrado exclusivamente no Jiu Jitsu, treinando com James Clingerman.

 

O seu adversario será Michael Hillebrand, faixa preta do veterano e campeão do EBI Denny Prokopos. Já se ouve falar sobre o seu profundo conhecimento de chaves de pernas, anterior a este “renascimento” dos ultimos 3 ou 4 anos, mas nunca o vimos a enfrentar competidores de elite como os que o esperam aqui. Tem uma filosofia de vida mais esotérica e espiritual, identificando o seu estilo de jogo como “Soul Rolling”, em que analisa e aprimora as posições e submissões nas quais se encontra mais frequentemente durante treinos fluídos e intuitivos, de modo a tê-las prontas a disparar baseado na memória muscular.

 

Deste lado das semi finais está também Josh Hayden, que também já derrotou Gordon Ryan. Treinado pelo veterano do ADCC e sapateiro Joe Baze, durante os 3 primeiros anos de treino só terá trabalhado chaves de pernas. Foi ao ADCC em 2015, onde caiu para Lucas Leite.

 

Para voltar a enfrentar Gordon Ryan terá de ultrapassar o faixa castanha Kyle Chambers. Tal como Hillebrand, Chambers é aluno de um veterano e campeão do EBI, Geo (e o seu irmao Richie) Martinez. Seguidor do estilo menos ortodoxo da escola 10th Planet (que já de si não é dos currículos mais tradicionais), favorece chaves de perna e posições como a truck. Tem treinado bastante sob as regras do EBI, incluindo as regras de tempo extra, mas não sabemos até que ponto estes treinos poderão compensar a sua falta de experiência em competições deste nível.

 

Lucas Rocha é faixa preta de Zé Radiola desde 2012 e um dos mais respeitados competidores da Gracie Barra, tendo um jogo muito completo que lhe valeu títulos mundiais com e sem pano. Perdeu no EBI 6 no tempo extra para Matheus Diniz, e desde então tem treinado mais sob as regras do EBI. Já caiu para Eduarto Telles por pontos, seria interessante vê-los a competir agora sem pontos. Será (largamente) favorito para enfrentar Devhonte Johnson na primeira ronda.

 

Johnson é outra das jovens promessas que aqui é atirado aos lobos. O aluno de Murilo Santana é apenas faixa roxa, tendo feito a escola toda do circuito IBJJF  que lhe valeu o título mundial sem pano na faixa azul, e foi uma aposta pessoal de Eddie Bravo devido ao seu potencial.

 

A caminho da outra meia-final esperam-nos outros 4 bons embates.

 

Eduardo Telles é o mais laureado competidor IBJJF em competição. Faixa preta há 15 anos, campeão mundial sem pano, campeão PanAm, tem uma prata e três bronzes mundiais com kimono. Favorece a posição de quatro (guarda tartaruga), num estilo defensivo pouco ortodoxo descrito pelo próprio como “esquijistu”. Em 8 edições, é o único competidor que ouvimos dizer que vem pronto para ganhar o torneio no tempo extra, devido à sua defesa e fugas impecáveis.

 

O primeiro a pôr esta defesa a prova será Matt Secor. Veterano da Bellator, tem um registo de MMA de 8-3 com 7 vitórias por submissão, competindo também frequentemente no circuito NAGA. Já o vimos no EBI 3,onde caiu no tempo extra. Revelou-se desejoso de limpar a sua imagem, tendo trabalhado nestas tipo de regras nos ultimos anos.

 

No combate seguinte teremos Kyle Griffin. Apesar de tecnicamente ser apenas faixa roxa, treina sob Robert Drysdale que só promove alunos que treinem com o kimono. Para além disso, é um excelente wrestler, que já submeteu John Fitch e derrotou Rómulo Barral no ADCC. Um competidor que será sempre favorito nas competições em que entrar.

 

O seu primeiro adversario é Quentin Rosenzwieg. Este faixa preta será especialista em chaves de calcanhar e tem um registo amador de MMA, mas pouco mais sabemos sobre ele. Poderá fazer a surpresa da noite.

 

Marcello Salazar é um histórico faixa preta de Murilo Bustamante. Registo bastante positivo de 8–1–2 em MMA profissional, competiu com bastante sucesso em varias competições de jiu jitsu e wrestling. No EBI 6 foi submetido por chave de joelho por Gordon Ryan, tendo um incentivo extra de empatar as contas entre os dois.

 

Irá enfrentar Ezra Lenon. Activo no circuito norte-americano, especialmente sem pano, já o vimos no ADCC ou no FIVE Grappling. Também daqui poderão vir resultados inesperados.

 

Felipe Fogollin regressa ao EBI na última luta da primeira ronda, após ter sido substituto de última hora no EBI 6, onde foi derrotado por Garry Tonon. Terá tido mais tempo agora de trabalhar no seu jogo de chaves de pernas e nas regras da competição. 3 vezes campeão mundial, aprecia nao ter de se preocupar com pontos e pensar apenas em procurar a submissão. Tem uma base sólida de Judo.

 

O seu jogo de pé irá ser posto à prova pelo veterano da UFC Greg Sotto. Sotto poderá ter pintado um alvo na própria testa (ou melhor, nos calcanhares) ao admitir no vídeo de antevisão não ter muito interesse nas chaves de pernas. Talvez seja bluff, mas já vimos que no mínimo, uma defesa compreensiva do jogo de pernas é necessária para progredir neste torneio. Favorece um estilo de Jiu Jitsu enquanto arte marcial e não desporto, não jogando com pontos Prefere tomar as costas para finalizar no mata-leão.

 

Tanto quanto sabemos este evento tem previsto apenas uma super luta casada antes da final. A faixa roxa e veterana da UFC Liz Carmouche tem 10 vitorias em 15 combates de MMA e lutou com Ronda Rousey para o titulo inaugural feminino de peso galo da UFC, tendo inclusive tomado as costas de Rousey e ameaçado uma chave cervical, antes de cair por chave de braco. A sua adversária será a campeã mundial Maria Henderson.

 

Diogo Trigo
Twitter – @DrDTrigo
Instagram – @DrDTrigo