QUANDOS OS FUZILEIROS COMPETEM NO JIU-JITSU, POR MAURO FROTA

13709983_888190701308564_2415284651062189334_n

Fuzileiros portugueses levaram o Jiu-Jitsu para as ruas de Setúbal. Foto: Buffalo Combat Wear

 

Fuzitour 2016 – Quando os Fuzileiros competem no Jiu Jitsu!

 

Se não há artigos fáceis, este é talvez dos mais difíceis de escrever. Nunca é fácil distanciarmo-nos o suficiente, quando os nossos camaradas de tatame estão no meio da “batalha”, mas farei o meu melhor para não deixar a emoção atropelar a razão, e para minimizar o viés de estar emocionalmente comprometido com a organização, organizadores e competidores da edição de 2016 do Fuzitour.

 

O Jiu Jitsu Brasileiro foi adoptado oficialmente como o sistema de combate de vários ramos armados nos EUA. Por cá isso ainda não aconteceu, mas isso não impede que vários Fuzileiros e ex-Fuzileiros tenham aprendido, por conta própria, a Arte Suave.

 

Setúbal foi, então, o palco da edição de 2016 do Fuzitour, evento que coloca em oposição atletas de Jiu Jitsu que são fuzileiros ou ex-fuzileiros, contra atletas “civis”, numa prova sem pontuação e em que se chega à vitória por submissão ou decisão dos juízes.

 

Foram realizadas 14 lutas em que ficou patente a superioridade dos Fuzileiros portugueses na Arte Suave, com apenas 3 derrotas.

 

Realizado no largo José Afonso, o ambiente foi de festa do início ao fim, com as equipas a torcerem pelos seus atletas, mas sempre com um espírito desportivo e com respeito mútuo.

 

No alinhamento a seguir temos os 14 combates, com os Fuzileiros apresentados do lado esquerdo. Destes, apenas Philippe Dias, Carlos Goshi e Gonçalo Branco perderam as respectivas lutas.

 

1ª luta          André Varela ( Romana Fight Team )     VS    Luis Santos ( Gracie Barra Amora )

 

2ª luta          Luis Cunha ( Romana Fight Team )       VS    Fábio Silva ( Portugal Gold Team )

 

3ª luta          Philippe Dias ( Romana Fight Team )    VS   Bruno Amarelo ( Brazilian Power Team )

 

4ª luta          Filipe Frexieiro ( Romana Fight Team )    VS    João Moreira ( Carlson Gracie )

 

5ª luta          José Ribeiro ( Romana Fight Team )      VS    André Duarte ( Gracie Barra Amora )

 

6ª luta          Pedro Dias ( Gracie Lisboa )       VS    Rodrigo Oliveira ( Carlson Gracie )

 

7ª luta          Telmo Póvoa ( Clone BJJ )       VS     Rui Maia ( kombat klub )

 

8ª luta          Carlos Goshi ( Brazilian Power Team )     VS    Du Fernandes ( Portugal Gold Team )

 

9ª luta          Ruben Jacaré ( Romana Fight Team )     VS    Hugo Pereira ( Clone BJJ )

 

10ª luta        Duarte Fonseca ( Brazilian Power Team )     VS    João Mimoso ( Gracie Barra )

 

11ª luta        Gonçalo Branco ( Clone BJJ )     VS     Pedro Fernandes ( Brazilian Power Team )

 

12ª luta        Miguel Silvino ( CloneBJJ )     VS    Cristiano Santos ( De La Riva )

 

13ª luta        Marco Facas ( Romana Fight Team )     Vs     Abilio Sultão ( Clone BJJ )

 

14ª luta         Luis Duarte ( 2 brothers )     VS    João Jota ( Brazilian Power Team )

 

No final o que contou foi a participação de todos e a fantástica organização do evento. A este respeito, confesso desde já, mais uma vez, a dificuldade que tenho em me distanciar, pois acompanhei de perto um dos mentores e maiores impulsionadores do evento, o Miguel Silvino da Clone BJJ, que depois de meses de preparação e organização do evento (e lesionado) ainda foi lutar e vencer, mostrando na prática o que significa ser Fuzileiro. Para ti, meu irmão de tatame, deixo um abraço muito especial. Estamos e estaremos sempre juntos…

 

Por Mauro Frota