O PODER DA JACA, POR ADRIANA GRACIE

10415634_10209277893287511_2959959271218415413_n

 

É um fruto originário da Ásia (Índia, Malásia, Filipinas), que foi introduzido e difundido no Brasil pelos portugueses durante o século XVIII, adaptou-se tão bem, que uma de suas classificações (Artocarpus brasiliensis) foi dada por um botânico brasileiro (Gomes, 1977).

 

Na Índia, apesar da existência de dezenas de variedades, só duas são cultivadas: a Wareka, de casca firme e a Peniwareka ou jaca-demel com polpa mais adocicada e com aroma muito agradável -(Guia Rural Plantar, 1992).

 

No Brasil, distinguem-se três variedades de Jaca : (1) Jaca-dura ou crocante com os maiores frutos, variando de 15 a 40Kg, tem bagos de consistência rígida, que se prestam para a produção de compotas, (2) Jaca-mole com frutos menores, bagas doces e com consistência mole, contém menos látex (látex este que existe em toda planta: casca do caule, folhas e frutos) . (3) Jaca-manteiga que apresenta bagos adocicados e de consistência intermediária, sendo muito comum no estado do Rio de Janeiro e muito confundida com jaca mole. -(Secretaria de Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária do Estado da Bahia, 2007).

 

O Brasil, em especial a região nordeste, apresenta uma grande diversidade de fruteiras nativas e exóticas bem adaptadas às suas condições climáticas, representando um grande potencial sócio-económico, tanto para os mercados interno e externo, de comercialização de frutas in natura como para industrialização. Segundo Gomes (1977), a Jaqueira (Artocarpus heterophyllus, Lam.), árvore frutífera originária da Índia, introduzida no Brasil há centenas de anos, fornece um fruto que é considerado um dos maiores do mundo, mas que ainda é pouco explorado comercialmente.

 

Presente em quase todos os Biomas do Brasil, a jaqueira possui rápida e eficaz dispersão de sementes , o que a torna considerada invasora em determinadas regiões. A semente já está sendo estudada para a extracção de uma proteína, a jacaína ,poderoso cicatrizante.Da jaqueira quase tudo se aproveita.
A madeira é óptima para construção naval e civil, seus frutos são consumidos verdes ou maduros e o látex possui substâncias utilizadas na indústria. A madeira é branco-acinzentada que escurece, ao contacto com o ar, tomando a aparência de mogno. É madeira de lei, utilizada em construção naval (cavername), e na construção mista (carpintaria e marcenaria). Para uso medicinal das sementes é extraída uma proteína, a Jacaína, poderoso cicatrizante. Sua resina também é cicatrizante.

 

O látex do fruto é útil no tratamento de faringite . Para uso culinário ,as sementes de jaca, podem ser comidas depois de cozidas. Para preparar os caroços de jaca, cozinhe em água e sal até ficarem moles. A Etimologia- O nome científico Artocarpus heterophyllus deriva dos vocábulos gregos artos (“pão”), karpos (“fruto”), heteron (“distinto”) e phyllus (“folha”), significando, portanto, “fruta-pão de folhas diferentes”. Já “jaca” origina-se do termo malaialo para a fruta: chakha. Em outros idiomas: Jackfruit (inglês).

 

12670797_10209270502102736_7193159325772003920_n

 

Esses gomos no interior da fruta encontra-se a polpa fibrosa de cor amarelada, que contém vários bagos, que possuem de 2 a 3 cm de comprimento.Têm no seu interior vários gomos ou bagos que contém um caroço coberto por polpa cremosa e aromática.Uma fruta típica dessa época do ano, a jaca. Ela tem sempre espaço nas feiras livres e atrai os consumidores com seu sabor doce.As variedades mais cultivadas da jaqueira são:

 

1.Jaca-dura ou crocante com os maiores frutos, variando de 15 a 40Kg, tem bagos de consistência rígida).
2.Jaca-mole com frutos menores, bagas doces e com consistência mole, contém menos látex. ( látex este que existe em toda planta: casca do caule, folhas e frutos)

3. Jaca – manteiga (com bagos adocicados e de consistência intermediária). A Jaca – manteiga que apresenta bagos adocicados e de consistência intermediária, sendo muito comum no Estado do Rio de Janeiro e muito confundida com jaca mole.

 

Além de ser uma fruta saborosa, a jaca traz alguns benefícios para a saúde. É rica em Proteínas, Fibras, Cálcio, Ferro, Fósforo e Vitamina A e Vitamina B1. Por ser rica em Potássio ajuda a reduzir a pressão arterial. É uma boa fonte de Vitamina C , tiamina, niacina, ferro, sódio, cálcio, fibras, fósforo. Rica em fito-nutrientes, a jaca pode ajudar a combater o cancro e retardar a degeneração celular. Por possuir um alto teor de Cálcio essa fruta é indicada, principalmente, na alimentação de crianças, por ajudar na formação de ossos e dentes. A polpa consumida in natura possui boas quantidades de proteína e vitaminas que processadas compõem polpas congeladas, “shakes” e sucos .

 

A Jaca pode ser consumida de diversas maneiras :
1)Suco da Jacá batido com água de coco.
2)Suco da Jacá batida com laranjas – lima.
3)Com adição de proteína como nos famosos “Shakes da Jaca”

4)Na nutrição infantil é excelente alimento :
Jaca batida com água de coco
Jaca batida com laranjas – lima fica muito saboroso, saudável e nutritivo.

 

As sementes são ricas em amido, podem ser consumidas assadas e moídas, e produzem farinha utilizada em biscoitos. Segundo a crença popular pode ser usada para combater a retenção de líquidos, febre e excesso de ácido úrico. As sementes, que são tóxicas cruas, são comestíveis quando assadas, grelhadas ou cozidas. O seu gosto lembra o das castanhas, consideradas ligeiramente afrodisíacas. Os seus caroços agem contra a prisão de ventre .

 

As frutas trazem muitos benefícios a nossa saúde, muitas pessoas nem se quer reconhecem o valor dos alimentos que consumem diariamente. A Jaca é um grande exemplo disso, por olhá-la ninguém dá nada por ela, no entanto quando se observa os seus benefícios o seu consumo torna-se praticamente automático. Dentre os nutrientes encontrados na jaca, estão às fibras, que ajudam a promover um bom funcionamento do nosso intestino.Além disso,ela também oferece componentes que combatem a queda de cabelo e problemas de pele como é o caso das Vitaminas do complexo B.

 

USP desenvolve pomada cicatrizante à base de proteína da Jaca

 

USP desenvolve pomada cicatrizante à base de proteína da jaca – Dentro de pouco tempo, a um novo produto tratará queimaduras e cicatrizes cirúrgicas: a pomada de jaca. Desenvolvida por pesquisadores da USP (Universidade de São Paulo) em Ribeirão Preto, o medicamento tem como princípio ativo a lectina KM+, uma proteína presente na semente de jaca e que estimula a proliferação celular e a produção de colágenio.

 

“A acção benéfica de KM+ sobre a lesão é drástica. Ela se faz logo nas primeiras horas após o ferimento, evita a necrose do tecido e proporciona uma regeneração muito mais rápida do que a dos ferimentos não tratados”, afirma Maria Cristina Roque Barreira, uma das coordenadoras do estudo. A expectativa é que o medicamento esteja disponível para uso clínico em aproximadamente cinco anos.

 

A KM+ da jaca é obtida pela técnica da expressão heteróloga de proteína, que neste caso consiste em inserir o gene responsável pela produção da lectina do DNA da fruta em uma levedura. Assim, o micro organismo funciona como uma espécie de “fábrica” da substância desejada.

 

Recentemente, a lectina passou a ser produzida em bactérias no lugar das leveduras. Além de ser mais rápido e mais barato, o novo processo conseguiu quadruplicar as quantidades produzidas. “Estamos aperfeiçoando o método para tornar a produção viável em larga escala”, explica Maria Cristina, ressaltando que a aplicação da substância em cicatrizes cirúrgicas e outros tipos de lesão já está sendo estudado.

 

No começo, a pesquisa foi conduzida pela professora Maria Cristina, do Laboratório de Imunoquímica e Glicobiologia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Nos últimos quatro anos, ganhou o reforço da professora Maria Helena Goldman, do Laboratório de Biologia Molecular de Plantas da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Enquanto o Laboratório de Imunoquímica e Glicobiologia estudava as propriedades biológicas da lectina de jaca, Maria Helena pesquisava a melhor forma de expressar a proteína em micro organismos para produção laboratorial.

 

O estudo contou com o apoio da Fapesp (Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo) no financiamento e no registro das patentes. As informações são da Agência USP de Notícias.

 

Fontes :

 

1)USP desenvolve pomada cicatrizante à base de proteína da Jaca.
USP desenvolve pomada cicatrizante à base de proteína da …
2) –ASSOCIATION OF OFFICIAL ANALYTICAL CHEMISTS (AOAC). Official Methods of analysis of Association of Official Chemists. 13 ed. Washington. 1980, 620p.
3)–KHYRUNNISA, B., PADMA, U. K., DANIEL, V. A., SWAMINATHAM, M. Effect of replacement of cereal in rice and rage diets by jackfruit seeds flour on the nutritive value of diets, Indian Journal of Nutrition and Dietetics, v.26, n.5, p. 141-143, 1989. K
4) –BERRY, S. K., KALRA, C. L. Chemistry and technology of jackfruit (Artocarpus heterophyllus) a review. Indian Food Packer, v. 42, n.3, p. 62-76, 1988.
5)–CENTRAL FOOD TECHNOLOGICAL RESEARCH INSTITUTE, Home scale processing and preservation of fruits and vegetables. Mysore: CFTRI, v.1, Índia, p. 28-31, 1977.
6)–CRUZ, G A. Desidratação de Alimentos: frutas, vegetais, ervas, temperos,peixes, nozes e sementes. Rio de Janeiro: Publicações Globo Rural, 207p. 1989 7)–SECRETARIA DE AGRICULTURA, IRRIGAÇÃO E REFORMA AGRÁRIA, Cultura – Jaca, Governo da Bahia, 2004.
8)– GUIA RURAL PLANTAR, Cultura da Jaca, São Paulo: Editora Abril S/A, 1992. 89p.
9)–SILVEIRA, P. L. Estudo da elaboração de passas da polpa, aproveitamento dos caroços e resíduos da jaca (Artocarpus heterophyllus), Dissertação de Mestrado, da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2000. 77
10)–DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DE JACA … 1 ) Professora. Doutora. do Depto. de Economia Doméstica – UFRRJ, freiman@ufrrj.br 2 ) Pesquisador da Embrapa Agroindústria de Alimentos/ –RJ, ronoel@ctaa.embrapa.br.
3 ) Professora. Doutoura. Do Depto. de Ciência dos Alimentos/ –UFLA, svborges@ufla.br http://www.xxcbed.ufc.br/arqs/gt6/gt6_39.pdf

 

Adriana Gracie


Bacharel em Educação Física.
Pós-Graduada na U.G.F.
Colunista da Revista Gracie Magazine.
Orientadora Nutricional.
https://www.facebook.com/groups/165721663620649/
https://twitter.com/adrianagracie
adrianaribeirogracie.blogspot.com