ENTREVISTA EXCLUSIVA COM O PORTUGUÊS CAMPEÃO DO MUNDO FRANCISCO TAMAGNINI

 

jiu-jitsu-portugal-com (3)

Campeão do mundo de K1 da WKF em Praga, República Checa, no passado mês de Novembro, Francisco Tamagnini quando contactado pelo nosso site, acedeu de imediato agendar esta entrevista. Com objectivos bem definidos, onde o Jiu-Jitsu é a ponte para o MMA, Francisco tem a característica dos vencedores: a atitude.

 

Sem falsas modéstias e no entanto agradecido a quem o empurra para cima, sabe o seu valor, quer mais conquistas e mesmo sabendo das dificuldades do percurso de um atleta de desportos de combate no nosso país, foge ao estereótipo de “coitadinhos, somos portugueses, portanto não me peçam resultados”.

 

Um miúdo, que é um exemplo e a resposta de uma juventude vencedora aos “velhos do Restelo” de um país cheio de tiques de vedetismo, onde a notícia nos meios mainstream gira em torno dos mesmos.

 

 

JIUJITSUPORTUGAL – Quem é que não te deu os parabéns e gostavas que te tivesse dado?
FRANCISCO TAMAGNINI – (Risos)…deu-me tanta gente os parabéns…

 

JJP – O Presidente da Republica, o Secretário de Estado do Desporto, a tua vitória que é um feito no desporto nacional merecia outra atenção?
FT – Sim, merecia mais algum reconhecimento, mas no meio foi bastante divulgado e reconhecido e é isso que importa.

 

JJP – Como é que te sentes após este título?
FT – Igual. Mais motivado. Tinha vindo de 3 combates e estava com algumas mazelas, mas acreditei, dei tudo de mim. Mas também treinei imenso e sentia-me bastante preparado.

 

JJP – Tens apoios?
FT – Tenho. Sou patrocinado pela Phanton MMA e um apoio do massagista Alberto Serrano.

 

JJP – E por parte do estado?
FT – Nada.

 

“Vejo a praticarem Jiu-Jitsu crianças, chefes de família que vão para o tatame desanuviar do stress do dia-a-dia e praticar um desporto. E tudo isto transmite uma imagem muito clean do Jiu-Jitsu, nada violenta.”

 

JJP – Pensas ir para o MMA?
FT – Sim, definitivamente. É o meu objectivo e o dos meus treinadores.

 

JJP – Sendo tu um campeão mundial, qual a tua opinião sobre o estado dos desportos de combate em Portugal?
FT – Empobrecidos e ainda pouco divulgados. Além de ser ainda um nicho e pequeno, é cada um a puxar para o seu lado, perdendo assim a força. Não existe uma estratégia comum a todos. Cada um rema para o seu lado. Existem pessoas nos desportos de combate com boas ideias e intenções, que querem levar o desporto longe, mas também existem outros que querem puxar o protagonismo só para si, o que faz com que não desenvolva o que havia de desenvolver.

 

JJP – O que é que pode ser feito então para os desportos de combate crescerem?
FT – União. Existir só uma federação na luta em pé, do strike, apoiar muito mais as atletas, pois os não podemos pagar para representar Portugal …eu não consigo viver da luta, mas desistir não é o caminho.

 

JJP – E és muito novo.
FT – Sim e sou muito novo e tenho a vida pela frente (risos).

 

JJP – Como vez daqui a 10 anos os desportos de combate em Portugal?
FT – 10 anos dá para muita coisa. Espero que cresçam imenso e acredito que se vão abrir portas. O UFC, o Metamoris são exemplos de eventos que estão a chegar ao grande público. Irá surgir quem pense que “se lá resulta, porque não cá?” e que apareçam empresários, investidores e patrocinadores que peguem nestes desportos.

 

JJP – Acreditas que vai explodir?
FT – Sim, acredito! Temos tido eventos de MMA em Portugal lotados. Portanto, só tenho que acreditar.

 

JJP – Onde treinas?
FT – Treino na Muay Thay Boran com o meu mestre Fabiano Moreira.

 

JJP – E Jiu-Jitsu?
FT – Treino com o mestre Rodriguinho, na Academia Integração.

 

JJP – Há quanto tempo treinas Jiu-Jitsu?
FT – Pouquíssimo, gostava de treinar há mais tempo…5, 6 meses. Fiz algumas pausas antes dos combates, para acertar sequências e golpes, mas ainda vou a tempo (risos). Mais a sério, tenho que me dedicar mais ao Jiu-Jitsu, pois tenho o objectivo de entrar para o MMA.

 

JJP – Qual a imagem que tens do Jiu-Jitsu em Portugal?
FT – Tendo em conta que pratico há pouco tempo, tenho uma boa imagem. Está a crescer imenso, rapidamente…ultimamente assiste-se a uma explosão incrível e que está a apagar a imagem que o atleta é um “durão” ou um “burro”. Vejo a praticarem Jiu-Jitsu crianças, chefes de família que vão para o tatame desanuviar do stress do dia-a-dia e praticar um desporto. E tudo isto transmite uma imagem muito clean do Jiu-Jitsu, nada violenta.

 

JJP – Tu que está a estudar Marketing, achas que o Jiu-Jitsu fez o trabalho de casa?
FT – (silêncio)…ainda está a fazer.

 

JJP – Faço-te a pergunta de outra forma: o Jiu-Jitsu comunica melhor e chega a mais público que outros desportos de combate?
FT – Apesar do Jiu-Jitsu ter chegado mais tarde, hoje, comenta-se muito mais o Jiu-Jitsu que outro desporto. O MMA e eventos como o Metamoris, são uns excelentes motores de divulgação.

 

jiu-jitsu-portugal-com (2)

 

JJP – Os outros desportos de combate têm a beneficiar com esta explosão?
FT – Todos vão ganhar. Vai atrair muita gente para os ginásios e visibilidade para os atletas. E tudo isto capta a atenção de empresas, patrocínios, etc.

 

JJP – Os atletas devem saber “vender-se” ou antes pelo contrário, deve ficar sentado e as marcas é que o devem procurar?
FT – Não devia ficar sentado. Falo por mim…se quero ter patrocínios, se quero ter quem me pague as viagens, o hotel, tenho que me promover. Seja com uma página de atleta nas redes sociais, seja de uma outra qualquer forma.

 

JJP – Com a idade, vais acabar no chão?
FT – Vou estar sempre ligado às artes marciais, isso sim. Agora, á medida que o meu corpo se cansar…epá, nem quero pensar nisso que sou muito novo (risos). Mas sim, acho que o Jiu-Jitsu provoca menos lesões que outro desporto de contacto.

 

JJP – A quem é que queres agradecer?
FT – À minha mãe, ao meu pai, ao meu mestre Fabiano Moreira, ao Rodriguinho da academia Integração, aos amigos, ao pessoal da selecção, ao seleccionador nacional Cesar Moreira, ao boxe do Boavista e aos portugueses, que tantas mensagens me fizeram chegar.

 

JJP – Queres deixar uma mensagem?
FT – Se querem algo na vida, lutem, literalmente ou não, mas não desistam dos vossos sonhos. Existe muita gente que vos vai dizer que não são bons e que não chegam lá…lutem. E não por sermos de um país pequeno, que não chegamos lá.

 

Por Paulo Santos

 

Agradecimentos Pausa Bar

 

NOTA: Em Praga, Portugal conquistou 5 medalhas de ouro (Ricardo Fernandes em Low kick, Francisco Tamagnini em K1, Cátia Pedrosa em Thai boxing, Frederico Ferreira com duplo ouro em light kick e light contact), 7 medalhas prata (Ricardo Fernandes em full contact, Chirley Xavier com prata em low kick e full contact, Micaela Varela em K1 e thai boxing, Cátia Pedrosa em low kick e o júnior Ricardo Sousa em light kick) e ainda 4 medalhas de bronze (Francisco Tamagini thai boxing, Rui Costa Thai boxing, Cátia Pedrosa em k1 e Ricardo Sousa em Light contact).

 

 

  • Fernando ribeiro

    PARABENS Tamaguini, um bom ano de 2015, encontramo nos no tatame ;) forte abraço