O Europeu, Portugal e os portugueses aos olhos dos outros

Vedetas do Jiu-Jitsu em Portugal (JiuJitsuPortugal.com)

Trans, Machado, Maciel e Costha. A opinião deles é uma promoção de Portugal.

 

De acordo com a Organização Mundial do Turismo, segundo dados de 2006, Portugal é um dos 20 maiores destinos do mundo. Portugal é amplamente reconhecido na Europa pelo sol, praias, gastronomia e herança cultural e patrimonial. O país afirma-se cada vez mais no contexto mundial como um dos principais destinos.
O Europeu de Jiu-Jitsu que se realizou mais uma vez em Lisboa, trouxe milhares de visitantes à capital portuguesa que aproveitaram para também conhecer mais da nossa cultura. Fomos saber o que pensam de nós, quatro ilustres conhecidos visitantes.

1) Como correu a tua participação no Europeu de Lisboa?

2) Qual a tua opinião sobre Portugal, os portugueses e a organização do evento?

3) Vais voltar e recomendas Portugal aos amigos?

 

Alexander Tráns

Alexander Trans (JiuJitsuPortugal.com)

1) Eu estou feliz com o meu desempenho no Europeu: na minha categoria fiz apenas uma luta que finalizei em menos de um minuto, antes de abrir para meu parceiro de treino na semi-final e no absoluto, fiz 5 lutas e finalizei 4, inclusive na final.

2) Só cheguei a conhecer Lisboa, mas gosto muito da cidade; é bem legal e gostaria de conhecer mais lugares em Portugal. O evento é especial para mim, pois foi o primeiro campeonato da IBJJF que lutei, em 2010 quando era faixa roxa. Na altura ganhei peso e absoluto na roxa e marrom e este foi o meu terceiro título na preta e o primeiro no absoluto. O evento sempre corre bem, e é um campeonato que gosto muito de lutar, até porque é na Europa, onde eu sinto-me em casa.

3) Tenho planos de voltar para o próximo ano e recomendo sempre Portugal aos meus amigos a irem também. O Europeu de Jiu-Jitsu é um excelente evento e Lisboa uma cidade linda!

 

 

 

Felipe Machado

Felipe Machado (JiuJitsuPortugal.com)

1) A minha participação no Europeu não foi a esperada. Apesar de ter encarado um grande nome não rendi o esperado apresentado nos treinos perdendo na minha primeira luta.

2) Portugal é o meu segundo país. O meu pai é português e tenho uma grande estima pelos portugueses. Quanto à organização do evento, está de parabéns. Não deve nada aos outros desportos quanto à organização. Impecável e de meter inveja ao da CBJJ. Lutei no horário designado no cronograma.

3) Sim, pretendo voltar e claro que recomendo a ida à Portugal. Um país fantástico e de grandes acontecimentos históricos.

 

 

 

 

 

Leonardo Maciel

Leonardo Maciel (JiuJitsuPortugal.com)

1) Na categoria absoluto: estava a vencer a primeira luta por 4×0 quando o meu oponente cruzou a perna de fora para dentro por cima do meu joelho direito, e foi desclassificado. Após esta luta senti-me maldisposto, um pouco tonto e decidi não não entrar para o segundo combate. Na categoria (pesado), venci a primeira por WO. Nas quartas de finais perdi para o Tarcisio Jardim por 2×0. Ele aplicou muito bem uma queda e saiu na frente no placar, tentei devolver a queda por diversas vezes, até obtive êxito mas não consegui estabilizar por 3 segundos para conquistar os pontos. Lutei até o fim mas não deu…

2) Portugal para mim é um excelente país, gosto muito de estar aqui e cada vez que volto faço novos e bons amigos. Se tivesse que escolher outro país para viver, de certeza seria aqui! Além de todas as belezas deste país, como as praias, monumentos, comida… enfim, vive-se muito bem. Pelo menos até agora, todos os portugueses que conheci são muito receptivos, sempre que estou aqui sou muito bem recebido. Assemelham-se muito aos brasileiros ou vice-versa. Gostei muito da organização do campeonato! Um evento de nível mundial e muito bem organizado por Portugal. A semente do Jiu-Jitsu que está sendo plantada aqui, tenho certeza que dará muitos bons frutos!!!

3) Regresso ao Brasil em meados de Fevereiro. Ainda não sei quando voltarei, mas voltarei. Quero voltar para competir, orientar seminários, treinar com os meus amigos Gabriel Nóbrega, Alysson Borges e Pedro Pinto entre outros e os seus alunos, claro. E quem sabe (ainda não esta nada certo) inaugurar a filial da Gfteam por cá. Portugal não precisa ser recomendado, o país por si só já é a recomendação. Mas se precisar, é certo que recomendarei…

 

 

Cicero Costha

Cicero Costha (JiuJitsuPortugal.com)

1) Caramba,eu tinha treinado só três semanas e pensei que os adversários não estavam tão bons…
Teve duas vez que pensei que ia perder mas tudo correu bem. Vou lutar aí brevente!

2) A galera foi muito boa comigo e no evento tinha muita gente a torçer por mim. Parecia uma claque de futebol. Fiquei muito feliz com todo o carinho demonstrado; foi muito legal para mim pois era a minha primeira vez aí Isto apesar do frio…!

3) Sim, pretendo lutar aí de novo.  Algums faixas-pretas desafiaram-me para lutarem comigo e eu fiquei pensando nisso (risos). Vai ser legal e vou regressar em breve.