Ajuste seu foco para cada treino, por Luiz Dias

  “Ajuste seu foco para cada treino”*        

 

 

Conversando com um amigo no dojo, observamos por acaso um treino em especial  entre vários treinos que estavam acontecendo naquele momento. Determinada dupla tinha um atleta mais graduado treinando mais solto, deixando o atleta menos graduado desenvolver seu jogo, deixando encaixar golpes, passando a guarda ele repunha a guarda em seguida ia buscar uma raspagem ou dava um giro no treino. Logo após o treino reparei que esse atleta menos graduado, não percebeu que o atleta mais graduado e também mais forte tinha deixado a luta fluir, levado pela amizade e/ou consciente do nível técnico desse lutador menos graduado o deixou buscar as posições e ir lapidando sua rotina. Enquanto que ele testava posições e movimentos.
Assim que terminou o treino fui andando para falar com ele, esse aluno disparou antes de eu falar alguma coisa.“Viu que ele não me finalizou!”, nesse momento é que me deu a idéia deste artigo, é óbvio que  o ideal é sempre buscar a finalização, mas temos que ter sempre em mente a capacidade de análise do potencial de nossos adversários e saber reconhecer quando um treino foi mais solto, quando você percebe num treino com um amigo em sua academia que ele encaixou a posição mas soltou após perceber que você está resistindo e deixou a luta fluir, é porque esse atleta prefere abrir mão da finalização e ter mais luta do que finalizar, essa luta não é luta de campeonato mas pode ser um excelente treino.
O atleta mais técnico e/ou mais forte fisicamente também tem a noção de treinar movimentos, arriscar posições novas e até a chance de melhorar seus pontos mais fracos, neste momento a “finalização” em um amigo de treino passa para o segundo plano, o que deixa este treino altamente produtivo no seu desenvolvimento técnico. Para o atleta ainda com menos técnica é um excelente treino para o desenvolvimento de suas habilidades e buscar sua rotina ideal, testar e ajustar seus golpes e principalmente ganhar experiência com treinos mais duros. Esse atleta iniciante não pode deixar de ser consciente e ter autocrítica suficiente para reconhecer a superioridade de seu adversário e ao mesmo tempo “perceber a oportunidade” que esse atleta está lhe dando ao lutar mais solto, ao invés de achar que  já está no mesmo nível. Então o importante é treinar solto, rápido, arriscando posições nesses treinos sem ficar amarrando a luta. Existem treinos que se o atleta ficar restrito em apenas em não ser finalizado ou em finalizar, esse treino deixará de trazer aprimoramento técnico, pode ficar um treino amarrado, cada um apostando em suas posições mais fortes. Mas no final do treino o que trouxeram de novo para o seu repertório técnico?. Sempre após o término da luta gosto de agradecer o amigo mais uma oportunidade de treino, é importante, e reforça as amizades. Todo treino é uma oportunidade de aprimoramento das nossas habilidades e refinamento da técnica, de testar a posição ensinada pelo professor ou de uma  nova estratégia criada pelo atleta.
Com essa percepção de treino em mente todos os lutadores em qualquer nível
sendo competidores ou não terão um desenvolvimento  técnico e todos os treinos podem ter bons resultados.
Bom treino a todos.

www.geracaoartesuave.com.br
email: geração.artesuave@yahoo.com.br

http://twitter.com/gasjj

http://blog.tatame.com.br/blog-do-gas

*Luiz Dias, escreve regularmente para a revista “Tatame” do Brasil e para o site JiuJitsuPortugal.com.

Decidimos, manter o texto original.

 

 

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *